Fatos aqui viram noticias

quinta-feira, 30 de julho de 2015

Professora diz que foi humilhada por secretário adjunto de educação; SEE emite nota sobre o caso


Da redação de ac24horas30/07/2015 18:08:38
PROFESSORA_02Um caso chamou a atenção da imprensa na manhã desta quinta-feira (30), durante mais um manifesto realizado pelos professores e servidores da rede estadual de educação, no centro de Rio Branco. A professora Rosimare Ferreira da Silva, moradora da cidade de Epitaciolândia, denunciou que ficou sem receber seus vencimentos sob a alegação de excesso de faltas.
A professora, que foi vereadora em duas oportunidades em Epitaciolândia, disse que na folha de ponto da escola onde leciona não tem faltas e que o desconto pode ter sido uma represália por ter se desfiliado do Partido dos Trabalhadores (PT).  
Rosimare da Silva disse que procurou a Secretaria de Estado de Educação e Esporte (SEE) na tentativa de resolver a situação, mas ao contrario foi humilhada pelo secretário adjunto de educação, conhecido como Chachá.
“Ele não me recebeu em seu gabinete e tive que espera-lo sair e o abordei no corredor. Ele disse que tinha como fazer nada por mim e que não iria abrir uma folha complementar por causa de uma professora, me senti humilhada, sou uma trabalhadora, honesta e nunca tive meu nome no SPC ou Serasa, e agora de uma hora para outra fico sem meu pagamento e eles me tratam com indiferença e desprezo, isso é humilhante”, desabafou a professora.
Em nota, a SEE se pronunciou sobre o caso e disse que o desconto indevido da professora Rosimare da Silva ocorreu por falha técnica e que o problema será corrigido na folha de pagamento do mês de agosto.
Veja na íntegra a nota da SEE
A Secretaria de Estado de Educação e Esporte (SEE) esclarece a falha referente ao desconto indevido no salário da professora Rosimare Ferreira da Silva.
A professora possui dois contratos com o Estado: um com lotação no Centro de Educação Permanente (CEDUP), em Brasileia e o outro com lotação na Escola de Ensino Médio Belo Porvir em Epitaciolândia. 
No contrato 1 – CEDUP, ocorreu uma falha técnica, acarretando desconto indevido nos vencimentos da professora no mês de julho. O problema foi detectado e corrigido para a folha de agosto.

Dilma pede apoio a governadores contra projetos que elevam despesas

30/07/2015 16h45 - Atualizado em 30/07/2015 19h46

Presidente disse em reunião que já assumiu o ônus de vetar alguns.

Ela defendeu controle da inflação como condição para ciclo de crescimento.

Nathalia Passarinho e Laís AlegrettiDo G1, em Brasília
A presidente Dilma Rousseff afirmou nesta quarta-feira (30), na abertura de reunião com governadores de todos estados, que a redução da inflação é a condição para um novo ciclo de expansão da economia.
Ela defendeu as medidas adotadas pelo governo para controle de gastos e alertou que projetos em tramitação no Congresso vão gerar mais despesas, se aprovados, e podem afetar os estados.
Como instrumento para conter a inflação, o Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central elevou nesta terça-feira (30) a taxa de juros básicos da economia de 13,75% para 14,25% ao ano. Foi a sétima elevação consecutiva da taxa, que atingiu o maior patamar desde julho de 2006, quando estava em 14,75% ao ano.
"O primeiro passo para esse ciclo [de expansão] é justamente garantir o controle da inflação, porque a inflação corrói tanto a renda dos trabalhadores como o lucro das empresas. E promover o reequilíbrio fiscal, a estabilidade fiscal. (...) Essa redução da inflação vai criar as bases para um novo ciclo de expansão sustentável do crédito", afirmou a presidente, sentada à ponta de uma mesa retangular, no Palácio da Alvorada, com governadores e ministros dos dois lados.
'Pautas-bomba'
Dilma pediu ajuda dos governadores contra propostas em tramitação no Congresso que, segundo ela, afetarão o governo federal e também os estados, as chamadas "pautas-bomba".
"A estabilidade fiscal do país é muito importante e a estabilidade econômica do país é muito importante. E é uma responsabilidade de todos os poderes da federação. A União tem de arcar com a responsabilidade, liderar esse processo e assumir os seus, todos os seus, todas as suas necessidades e condições. E, ao mesmo tempo, nós consideramos que como algumas medidas afetam os estados e, portanto, afetam o país, os governadores também têm de ter clareza do que está em questão", afirmou a presidente.
"Nós temos algumas propostas legislativas de grave impacto já votadas pelo Congresso. Algumas eu assumi a condição de preservação necessária do dinheiro público, vetando, e acredito que outras estão em processo de discussão. Todas essas medidas, elas terão impacto sobre os estados, sem sombra de dúvida", declarou.
Durante a reunião, Dilma enumerou diversos fatores externos como agravantes para a crise econômica do país. Segundo a presidente, houve um "colapso" no preço das comodities, uma "grande desvalorização" na moeda brasileira. Ela lembrou ainda que a crise internacional "continua não esmorecendo."
"Iniciamos nossas campanhas numa conjuntura ainda mais favorável do que quando tomamos posse. Nós sabemos que, a partir da segunda metade de 2014, precisamente a partir de agosto de 2014, houve um fato importante no cenário internacional, que foi o colapso do preço das commodities. [...] Esse colapso no preço das commodities foi acompanhado também por uma grande desvalorização da nossa moeda, com impactos, necessariamente, sobre os preços e sobre a inflação", afirmou Dilma aos governadores.
Crise internacional
"Além disso, a crise internacional continua não esmorecendo, não é? Agora é a vez da China passar por grandes dificuldades. [...] A consequência de tudo isso para o governo federal foi uma forte queda na nossa arrecadação de impostos e de contribuições sociais. Nós experimentamos uma significativa redução das receitas. Nós fomos obrigados, diante desses fatos todos, a promover um reequilíbrio no nosso orçamento", continuou a presidente.
Apesar de apontar o cenário desfavorável, Dilma disse que a crise internacional "não é desculpa para ninguém".
"Como governantes, não podemos nos dar ao luxo de não ver a realidade com olhos muito claros. Nós temos, não podemos nos dar ao luxo de ignorar a realidade", complementou.
 Ao final do discurso, Dilma disse que, como governante, é alvo de "injustiças" mas que sabe "suportar a pressão". "É algo que qualquer governante tem que saber que faz parte da sua atuação. Tenho ouvido aberto, enquanto razão, e coração, enquanto emoção e sentimento", ressaltou a presidente.
Pacto contra homicídios
Em sua fala, a presidente propôs aos governadores um pacto nacional pela redução de homicídios e defendeu a cooperação entre os governos federal e estaduais.
Dilma disse que quer estabeçecer uma "cooperação federativa" na área de segurança para diminuir o número de homicídios no país. Segundo ela, o Brasil lidera o ranking em número absoluto de homicídios no mundo.
"Nesse novo Brasil, nenhum governante pode se acomodar. Sabemos que muita coisa precisa melhorar, porque nosso povo está sofrendo. Nós devemos cooperar cada vez mais, independentemente das nossas afinidades políticas", afirmou Dilma.

A oposição não se une em torno da candidatura de Gladson Cameli

Luiz Carlos Moreira Jorge

30/07/2015 09:49:08
É preciso ser muito ingênuo e não ter freqüentado nem o Jardim da Infância da política para imaginar que a oposição vai se unir em torno de uma hipotética candidatura do senador Gladson Cameli (PP) ao governo em 2018. Caso o deteriorado quadro do PT permaneça e o senador Aécio Neves (PSDB) chegue em 2018, como favorito à presidência da República, Márcio Bittar (PSDB) é um candidato natural ao governo. E por três motivos óbvios: mantém uma relação estreita de amizade com o Aécio Neves, nem o Jorge Viana e nem o Tião Viana serão candidatos ao governo e na última eleição perdeu a eleição para governador por uma margem pequena. E acrescente-se ainda a todos estes fatores, o PSDB ser o maior partido de oposição no plano nacional. Não espere, pois, a turma do Cameli, que o Márcio Bittar (foto) deixará o cavalo passar selado em 2018. Entre os seus defeitos não está o de ser burro.
Guerra dos salmos
Um ex-deputado evangélico explicou ontem a aproximação do Pastor da Assembléia de Deus, Luiz Gonzaga, com a oposição, tendo como ponte o Pastor Pedro Abreu: “o Gonzaga foi da FPA de primeira hora e nunca foi honrado. O Pastor da Igreja Batista, Agustinho, chegou ontem e tem lotes de cargos no governo e prefeitura”.
Evangélico desde criancinha
Falando na Assembléia de Deus, o senador Sérgio Petecão (PSD) virou presença constante nos atos religiosos da igreja. Nunca leu a Bíblia, mas se diz evangélico desde criancinha. O que a luta pelo voto não faz? É o que grita mais alto Aleulia! Aleluia! nos cultos.
Troco na fronteira
O deputado federal Werles Rocha (PSDB), partiu para o troco no prefeito de Epitaciolândia, André Hassem, que deixou o PSDB pelo PP. Ofereceu a presidência do diretório municipal do PSDB em Epitaciolândia, a garantia para ser candidato a prefeito e estrutura para a campanha, ao Delegado Sérgio Lopes (SOLIDARIEDADE), o mais votado para a Aleac no município.
Troco no James Gomes
Em Senador Guiomard, o troco do deputado federal Werles Rocha (PSDB) no prefeito James Gomes será lançando sua desafeta política, a vice-prefeita Branca, candidata à prefeita no próximo ano. Branca aparece muito bem nas pesquisas até aqui realizadas.
“Ex-prefeito não é nada”
O deputado Rocha (PSDB) costuma ironizar o prefeito de Senador, James Gomes, lembrando: “logo mais o James será um ex-prefeito, e ex-prefeito na política e nada é a mesma coisa”.
Faltou uma “traição”
Chega-email dizendo que o deputado Rocha (PSDB) foi econômico ao relacionar as “traições” do prefeito James Gomes: “esqueceu que ele traiu o prefeito Celso Ribeiro, quando era seu vice?”.
Só reclamações
Nos primeiros dias da EXPOACRE virou uma ladainha dos comerciantes a fraca presença de público consumista. A crise bateu firme. Pode ser que se recupere de hoje até domingo.
Falta de assessoria
Político experiente comentava ontem sobre a inexperiência política do senador Gladson Cameli (PP): “jamais teria cooptado a primeira suplente do Senado Mailza Gomes do PSDB para o PP. Deveria tê-la mantido no PSDB para negociar com a direção nacional tucana”.
Coluna do meio
O deputado Raimundinho da Saúde (PTN) é a própria coluna do meio: diz ser a favor da greve dos professores, mas não é contra o governador Tião Viana. Ou seja: não é a favor e nem contra, mas muito pelo contrário. Entenderam?.
É a cara de oposição
Não dá para ninguém se admirar com a guerrinha entre dirigentes da oposição para ver quem tira mais filiado do outro. A oposição é isso mesmo. Um ajuntamento sem um objetivo, onde cada um trata da sua vida e dos seus negócios. Por isso é uma derrota atrás da outra nas urnas.
Leilão do cabide
Não vou me admirar se explodir uma briga para ver quem filia o ex-vereador Cabide.
História mal contada
Petistas dizem que esta história da saída do professor Zequinha do PCdoB por queixas contra o PT está “mal contada”. Sempre teve nos maiores cargos salariais da Educação, no Juruá, na última década. Por isso falece de razão alegar desprestígio, comenta a turma do PT.
Caminho sem volta
A greve dos professores chegou a um caminho sem volta e sem qualquer possibilidade de fazer o governador Tião Viana afinar na decisão de não acenar com reajuste salarial. A presidente do SINTEAC, Rosana Nascimento, está jogando com a hipótese errada que o governo recuará.
Chapa pesada
Se os ex-deputados federais Henrique Afonso (PSDB) e Iderley Cordeiro (PR) se juntarem numa chapa para prefeito de Cruzeiro do Sul os adversários comerão dobrado para derrotar. Ambos são identificados com o município e cobras criadas de muitas eleições.
Vai ficar banguela
Importante dirigente do PCdoB comentava ontem que o partido vai brigar “até cair os dentes” para manter um vice na chapa do prefeito Marcus Alexandre. E acrescentou: “o PT chegou num estágio político que não pode se dá ao luxo de brigar com ninguém. Tá fraco das pernas”.
Perda de que?
Sempre publicam que a oposição perdeu o prefeito de Santa Rosa, Rivelino, que era do PSDB e foi para o PV. Na campanha não estava no mesmo palanque do Tião Viana? Perdeu o que?.
Qual o peso?
Aproveito para fazer a pergunta: qual é o peso de Santa Rosa numa eleição para o Governo?.
Deixando a idiotice de lado
Não me venham falar de pesquisa para a prefeitura da Capital quando a eleição será em outubro do próximo ano. Vamos relembrar juntos: todas as pesquisas na última campanha davam uma vitória da FPA na Capital com 69% de ponta. A diferença foi pouco mais de 2 mil votos. Cessem, pois, o ufanismo infantil que a eleição do próximo ano será um passeio para a FPA.
Seria por acaso para locutor?
O que chamou mais atenção nas regras do concurso da PM para Oficial da corporação foi a proibição de inscrição de “fanhos”. Uma perguntinha ao comando da PM: o concurso era para uma atividade militar ou para locutor de rádio?.
Bujari é caso perdido|A frase acima, eu ouvi de uma importante figura do PT. O partido dá a prefeitura do Bujari como caso perdido para a oposição se o prefeito Tonheiro (PT) não der uma guinada de 90° na sua administração, que é considerada como mais fraca que caldo de batata doce.
Pode esquecer
O deputado Manoel Moraes (PSB) esqueça a hipótese do PT não lançar candidato a prefeito de Xapuri para apoiar o nome que vier a indicar. O PT não deixará de disputar a prefeitura de um dos municípios mais emblemáticos na sua história política.
Muito bem situada
Em todas as pesquisas para a prefeitura de Brasiléia a vereadora Fernanda Hassem (PT) sempre aparece bem na frente dos concorrentes. Não significa que já ganhou a eleição, que acontecerá em outro momento, mas é o melhor nome do PT no município.
Política pela medicina
Quem trocou a política pela Medicina é o ex-deputado federal Zico Bronzeado (PT), que sempre foi uma das boas referências do PT no Alto Acre.
Seria uma ignorância, mas dá pinta
Seria uma ignorância política faltando mais de ano para a eleição da prefeitura de Brasiléia dizer que o prefeito Everaldo Gomes (PMDB) não se reelegerá. Mas, pode-se falar que, ele terá que melhorar muito a sua administração, porque o desgaste é muito grande.
Isso é que não se entende
O que não se consegue entender é como o prefeito Everaldo Gomes entrou ladeira abaixo de desgaste, tendo um orientador político experiente, vencedor de muitas eleições, como o ex-prefeito Aldemir Lopes (PMDB).
A princesa de Xapuri
Conta o diretor do “PÁGINA 20”, Élson Dantas, xapuriense, que Licinho, a decana das bichas de Xapuri ,era muita divertida. Certa feita chegou um cidadão no bar em que trabalhava, e provocou: “é verdade que Xapuri é o paraíso das bichas?”. Licinho, revirou os olhos, enxugou as mãos no avental e suspirou: “é tudo folclore queridinho, não tem tanto veado assim. Tem por aí alguns meninos metidos a bicha, quebrando a munheca, mas é tudo sem pedigree. Bicha, no sentido da palavra, aqui em Xapuri, só conheço duas; o Biá e a princesa que lhe fala, sempre lânguida e cheio de amor para dar”. Dito isso, Licinho deu uma gargalhada, uma rabissaca e foi para os seus afazeres. 

TARAUACÁ/FEIJÓ: GREVE DA EDUCAÇÃO PODERÁ TER UM DESFECHO NA PRÓXIMA SEMANA





A Presidente do Sinteac Professora Rosana Nascimento, esteve em Feijó na manhã desta quarta feira, 30 de julho, onde passou de uma assembléia com servidores doso municípios de Feijó e Tarauacá que estão em greve. A presidente fez uma demorada explanação sobre o movimento da educação e as medidas que o governo vem tomando para enfraquecer a greve e por vim ao movimento sem atender as reivindicações da classe. 


"A greve da educação poderá ter um desfecho na próxima semana e não podemos ceder a pressão dos representantes do governo que não terão coragem nem amparo legal para cortar o nosso ponto", disse Rosana.

Na próxima terça feira, 3 de agosto, em Rio Branco, haverá uma reunião do Conselho de Representantes do Sinteac, composto por presidentes de núcleos de todos os municípios do Acre.

A direção do sindicato espera que seja realizada uma rodada de negociações nesse período e que se possa chegar a um entendimento. "Queremos pelo menos 50 por cento da VDP em 2015 e aceitamos as melhorias salariais para 2016", finalizou a presidente.

EM REUNIÃO COM O DERACRE PREFEITO RODRIGO DAMASCENO RATIFICA SUA PARCERIA



*O Prefeito Rodrigo Damasceno participou hoje de uma reunião no DERACRE com o senhor Sandro Oliveira do Nascimento (Major Oliveira), o representante local do DERACRE Sr. Hugo Oliveira e o Presidente do STTR/TK (Sindicato dos Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais de Tarauacá Fernando Feitosa onde ratificou sua parceria e tomou ciência dos trabalhos de abertura dos ramais.* *Fernando Feitosa* *Os trabalhos já começaram no ramal da tribo indígena do Caucho devido à acessibilidade ao PNHR (Programa Nacional de Habitação Rural), que está em processo de implantação naquela comunidade e l... mais »
assecomtkemASSECOM TARAUACÁ - Há uma hora

JORDÃO: Cúpula da Segurança Pública visita Jordão e dialoga com moradores

quarta-feira, 29 de julho de 2015


Dois secretários, o comandante-geral e um tenente-coronel da PM participaram da conversa com a comunidade (Foto: Andrey Santana)
Os secretários de Segurança Pública e da Polícia Civil e o comandante-geral da Polícia Militar estiveram ontem, 28, no Jordão. Os gestores visitaram a prefeitura, e em seguida participaram de uma audiência pública na Câmara Municipal para ouvir a população e apresentar as novidades na área de segurança para a cidade.

Os moradores do Jordão falaram sobre a necessidade de um reforço no efetivo policial, aumento na quantidade de viaturas e a presença mais frequente do delegado de Polícia Civil responsável pelo município.

“Chegou hoje uma caminhonete para a PM, adquirida via Enafron. O delegado da regional vai visitar a cidade com mais frequência e vamos disponibilizar mais cinco policiais civis, a partir da convocação do cadastro de reserva dos aprovados no último concurso. Queremos concluir a academia e nomeá-los até janeiro. Tudo o que estiver dentro da nossa capacidade, vamos executar”, disse o secretário de Segurança Pública, Emylson Farias.

Durante a audiência, o comandante-geral da Polícia Militar, coronel Júlio César dos Santos, se comprometeu a encontrar uma forma para disponibilizar o curso do Programa Educacional de Resistência às Drogas (Proerd) nas escolas do Jordão.

Opinião dos jordanenses

“É positivo, porque escutar a comunidade, tentar resolver situações que foram apresentadas, e até o ato de vir aqui, mostram a atenção com o nosso povo”, disse Neuzimar Lima, professora e gestora da escola de ensino médio.

A prefeitura também se colocou à disposição para custear o transporte das equipes de polícia responsáveis pelo município, que vão visitar a cidade com mais frequência. “Essa visita representa o carinho e a atenção do governo do Estado com o nosso município. Toda a cúpula da Segurança Pública aqui presente, dando respostas e disposta a ouvir a população jordanense”, afirmou o prefeito de Jordão, Elson Farias.

Assessoria Sesp

RIO BRANCO: Francisco de Assis, de Tarauacá, é o campeão do rodeio da Expoacre 2015


Imagem: http://www.agencia.ac.gov.br/noticias
Dez peões acreanos disputaram a semifinal e a final do rodeio da Expoacre 2015, na noite desta terça-feira (28), no Parque de Exposições Marechal Castelo Branco, na capital acreana. Após 15 montarias, Francisco de Assis, do município de Tarauacá, a 409km de Rio Branco, foi o grande campeão da noite. Ele liderou as semifinais com a melhor pontuação da terceira noite de competição, somando 174.25 pontos e venceu a disputa com 345.75 pontos. (Veja no vídeo acima imagens da abertura e as apresentações dos cinco finalistas)
Francisco de Assis, campeão rodeio Expoacre (Foto: Duaine Rodrigues)
Campeão, Francisco de Assis faturou uma moto e a vaga no Rodeio Internacional de Barretos (Foto: Duaine Rodrigues)
Além de conquistar o título deste ano, Assis ganhou uma moto Fan e representará o Acre na disputa do Rodeio Internacional de Barretos, que será realizada entre os dias 20 e 30 de agosto, em São Paulo. Ao todo, 33 peões do Acre, Amazonas, Rondônia e Mato Grosso participaram da disputa pelo título deste ano. 

Na segunda posição geral ficou Renan Barbosa, da Vila do V, com 344.25 pontos, que ganhou uma moto Pop e vaga na Expoacre Juruá. O terceiro lugar, com R$ 3 mil e vaga na Expoacre Juruá, foi de Alisson Rodrigues, que fez 260. Vanicelio Paiva, de Feijó, enfrentou dificuldades para entrar na arena e teve que montar em outro touro, mas conquistou o quarto lugar, com 255,75, e R$ 2 mil. Em quinto, Jhow Lino, de Plácido de Castro, conseguiu alcançar o tempo mínimo em cima do touro e fez 253 pontos, com R$ 1 mil. Os três primeiros colocados garantiram vaga na Expoacre Juruá 2015, que ocorre em Cruzeiro do Sul, ainda este ano.
Final do rodeio na Expoacre 2015 foi prestigiada por um grande público, que lotou a arena na noite desta terça-feira (28) (Foto: Nathacha Albuquerque)

Na arquibancada o público lotou a Arena de Shows e Rodeios, e mais uma vez, deu um espetáculo a parte. Centenas de pessoas entusiasmadas acompanharam a queima de fogos, interagiram com as apresentações do comediante Gustavo Sartore, o palhaço Balão e dos locutores e torceram pelos peões locais.

Fonte: http://globoesporte.globo.com/ac/

terça-feira, 28 de julho de 2015

Dilma exige que ministros enquadrem bancadas para barrar impeachment


Objetivo é evitar manobras do presidente da Câmara, Eduardo Cunha, na volta do recesso parlamentar

 - Atualizado em 
A presidente Dilma Rousseff durante cerimônia de lançamento do Plano Safra da Agricultura Familiar 2015/2016, no palácio do Planalto, nesta segunda-feira (22)
Presidente pediu apoio político no Congresso, para evitar que o presidente da Câmara, Eduardo Cunha, autorize a tramitação dos pedidos de impeachment(Evaristo Sá/AFP)
A presidente Dilma Rousseff cobrou de doze ministros, na segunda-feira, que mobilizem as bancadas de seus partidos para impedir que propostas pedindo o seu afastamento do cargo contaminem a pauta do Congresso a partir da próxima semana, quando termina o recesso parlamentar. Com receio de que o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), admita a tramitação dos pedidos de impeachmentantes mesmo dos protestos marcados para 16 de agosto, o governo iniciou uma estratégia para pôr um freio de arrumação na base aliada.
Em reunião com o vice-presidente Michel Temer e os ministros, na tarde de segunda-feira, Dilma pediu ajuda para garantir apoio político no Congresso e evitar as manobras de Cunha, que rompeu com o governo após o lobista Júlio Camargo, delator da Operação Lava Jato, acusá-lo de receber 5 milhões de dólares em propina. Dilma disse no encontro que o caso de corrupção na Petrobras, revelado pela Lava Jato, provocou instabilidade política e econômica. De acordo com dois ministros, a presidente observou que, por causa da sucessão de escândalos, o Produto Interno Bruto (PIB) caiu um ponto.
LEIA MAIS:
A preocupação de Dilma é com o agravamento da crise em agosto, quando o Congresso retoma suas atividades, e com os protestos de rua pelo impeachment convocados em todo o país que na segunda-feira ganharam o apoio formal do PSDB, principal partido de oposição. Segundo o senador Aécio Neves (PSDB-MG), os tucanos vão utilizar inserções partidárias de TV na próxima semana para estimular a participação popular nos atos pró-impeachment.
Ao falar na segunda-feira sobre os planos do governo para superar dificuldades, Dilma reforçou o pedido para que ministros conversem com deputados e senadores dos partidos aliados com o objetivo de impedir, também, a votação da chamada "pauta-bomba", que aumenta as despesas e coloca sob risco o ajuste fiscal. Ela chegou a citar o projeto que foi obrigada a vetar, aumentando os salários do Judiciário em até 78,5%.
Na quinta-feira, Dilma vai se reunir com 27 governadores, em mais uma tentativa de obter sustentação política. "Se esperar só da União, não há solução. Eu acho que os governadores serão bons articuladores, especialmente em benefício dos Estados", comentou Temer, após a reunião de segunda-feira. "Quando se tem aumento de despesas na área federal, isso repercute em cascata nos Estados. De modo que eles serão bons aliados."
Novo tom - Dez dias depois de romper formalmente com o governo, Cunha disse na segunda-feira, durante um almoço com empresários em São Paulo, que vai tratar "de forma técnica e jurídica" os pedidos de impeachment que foram protocolados na Câmara e que, nos casos em que houver fundamento, os pareceres serão acolhidos.
O discurso do peemedebista aos empresários reunidos pelo Grupo de Líderes Empresariais (Lide) marca uma mudança de tom em relação às suas intervenções sobre o tema. Durante um evento organizado pelo mesmo grupo em abril, na Bahia, Cunha rechaçou prontamente a ideia de acolher os pedidos de impeachment contra a presidente.
Naquela ocasião, o PSDB ensaiava apresentar um pedido em conjunto com as demais siglas de oposição. "O que vocês chamam de pedalada é a má prática de se adiar investimento para fazer superávit primário. Isso vem sendo praticado nos últimos 15 anos sem nenhuma punição", afirmou.
Na segunda-feira, diante da mesma plateia, o discurso foi outro. "Vamos tratar tudo e todos de forma técnica e jurídica. Havendo fundamento, o processo será analisado." Em um sinal de que poderia usar oimpeachment como mais uma forma de desgastar o governo, Cunha encaminhou ofício para que todos os responsáveis pelos pedidos apresentados até o começo do recesso adequassem seus documentos às normas do regimento. O procedimento não é usual. Normalmente, os pedidos fora do formato exigido são imediatamente arquivados.
Aos empresários, entretanto, o deputado afirmou que não pretende "incendiar" o cenário político. "Eu vou separar muito bem isso. Vou ter até uma cautela, para não antecipar meu julgamento, ou parecer que qualquer tipo de posicionamento tem a ver com a mudança do meu posicionamento político, que eu anunciei publicamente", disse. "O impeachment não pode ser tratado como recurso eleitoral", concluiu.
FONTE: http://veja.abril.com.br/